Um acidente e um mistério a caminho da Namíbia

 

“GRUUUUUUUUU” um ruído e uma terpidação enorme veio do lado de fora do carro….” Foda-se um pneu Furado!” gritou o Paulo enquanto agarrava o volante com toda a força que tinha para controlar o carro!

Tínhamos lido e sidos avisados que é praticamente impossível de ir à Namíbia sem ter um pneu furado a determinada altura! Só não pensávamos que nos ia acontecer ainda na África do Sul,a apenas 300km de Cape Town!

Estávamos a atravessar um secção de 60 km da N7 em obras, a estrada que vai de CapeTown até à fronteira com a Namíbia, a Norte. O terreno era bastante difícil e rugoso em certas partes pelo que não foi uma surpresa total este furo. Felizmente conseguimos controlar bem o carro, e pô-lo na berma, como estávamos a atravessar uma longa recta. A história podia ter sido diferente se tivéssemos a atravessar uma das secções cheias de curvas…

Abri porta, curioso para ver até que ponto o pneu estava estragada e não foi o meu espanto ver que….não havia pneu! Não havia roda! Tinha saltado completamente!!

 

IMG_3918

 

 

O barulho que pensávamos ser do pneu furado era do eixo a raspar  na estrada durante uns bons 300 metros, até que conseguimos parar o carro! Conseguíamos ver a marca deixada no alcatrão, a indicar exactamente o sítio onde a roda tinha saltado!

IMG_3921

 

Por sorte, estávamos numa zona onde haviam trabalhadores, e ainda mal nos tínhamos apercebido o que é que se tinha passado, já vinha um homenzinho, ao fundo, a correr e fazer girar o pneu do Jipe, na nossa direcção! Parecia que as porcas tinham saltado completamente, fazendo saltar o pneu, que estava em perfeitas condições!

Por coincidência, a Polícia também estava por perto, a gerir o trânsito criado pelas obras. Ao início fiquei um pouco preocupado quando nos vieram perguntar o nome e alguns dados, mas queriam somente uma informação genérica para escrever um relatório provavelmente e nem sequer nos pediram os documentos.

Depois de nos refazermos do choque, decidimos ver até que ponto é que o carro estava estragado, e começámos a levantar o carro com o macaco para colocar de novo o pneu. Com um bocado de sorte o impacto no eixo não sera muito grave…visto de fora, não parecia, mas claro que não tínhamos maneira de saber até conduzir de novo o carro…

IMG_3919

 

Razões do Acidente

 

Enquanto dum lado o Paulo tratava de colocar o pneu, peguei na chave e fui certificar-me que as outras rodas estavam bem seguras. As da frente sim, mas ao apertar as porcas da roda de trás, vi que estavam todas folgadas, mal apertadas!!! Ou seja, se não tivesse saltado a dum lado, a do outro iria saltar mais tarde ou mais cedo!

Saltar uma roda dum carro é algo que nunca acontece! A não ser nos filmes quando há uma tentativa de assassinato….ou quando há alguma negligência…e imediatamente nos veio à cabeça, na noite anterior, a senhora que nos alugou o Jipe a dizer que os dois pneus de trás eram novinhos em folha, que os tinha trocado no dia anterior!! Tínhamos encontrado a razão para o acidente!!! Mas por outro lado ela tinha conduzido o carro durante 14 horas seguidas no dia anterior, de Johanesburgo para nos deixar o carro…Se bem que a estrada de Johanesburgo para Capetown devia ser bastante boa sem os buracos daquela onde estávamos, até que ponto é que seria possível que a roda não tivésse saltado durante esse trajecto?!

 

Um barulho esquisito…viagem em risco?!

Lá conseguímos pôr a roda de volta e tirámos 5 porcas dos outros pneus temporariamente para segurar o pneu que tinha saltado. Fizémo-nos à estrada, devagarinho e parecia que o carro se estava a aguentar bem, sem problemas de direcção….mas passados alguns kilómetros apercebemo-nos dum ruído metálico, tipo metal a raspar contra metal…não era um bom sinal!

Nas nossas cabeças passavam todo o tipo de incertezas e receios…será que a nossa viagem à Namíbia iria terminar mesmo antes de começar?! Quantos dias iríamos perder se o carro tivesse de ser reparado?!

Pelas Garagens da África do Sul

 

Conduzimos a cerca de 40km/h durante uns 40 km até à primeira povoação, onde havia uma garagem de pneus, onde nos colocaram porcas novas e viram que o barulho vinha duma chapa metálica amolgada que protegia o interior do eixo do pó…Após algumas marteladas para tentar pôr no sítio e um test drive, o barulho persisitia ,pelo que não podiam assegurar que o carro estava bom para levar 15 dias para as estradas de terra batida da Namíbia! Aconselharam-nos a ir a um Stand da Nissan, a 20 minutos dali, na povoação seguinte, onde fomos recebidos duma maneira super profissional. Após um primeiro diagnóstico negativo (onde nos disseram que a tração às 4 rodas não estava a funcionar devido ao choque), a situação pareceu melhorar, se bem que o supervisor não nos pudésse garantir que o carro se aguentaria durante 15 dias na Namíbia ( e ninguém quer levar um carro que não seja fiável para um pais desértico como a Namíbia!). Mas antes dum veredicto final, chamou o mecânico mais velho, um tipo branco, com a cara já marcada pelo tempo, álcool e cigarros, e disse que iam dar uma volta para ver o barulho que o carro fazia…e quando voltaram, o lobo velho deu o seu aval para continuarmos, que já não havia barulho nenhum! Do alto da sua experiência, não via nenhuma razão para não seguirmos viagem! Antes de sairmos ainda nos deram um cartão com o número de telefone deles, caso nos acontecesse algo na Namíbia, poderiam nos pôr em contacto com uma garagem Nissan lá. Com o número veio também um dizer que nunca mais me vou esquecer: ” Levem o nosso número, porque é como uma roda sobresselente- quando temos uma, nunca precisamos!”

IMG_3929

Teorias da conspiração

Tínhamos perdido quase um dia de viagem, mas estávamos contentes e aliviados por podermos seguir viagem, e considerámo-nos mesmo que, dentro do azar, tínhamos tido sorte de não ter tido um acidente maior!

As razões do acidente continuavam e continuam um mistério! O velho mecânico tinha-nos garantido que seria impossível o carro vir de Johanesburgo com as porcas desapertadas! O que punha de parte a explicação mais lógica de negligência da garagem que tinha substituído as rodas traseiras… A segunda explicação possível era que alguém, durante a noite, tinha tentado roubar os (dois) pneus, estando o carro estacionado dentro do parking do Hotel, mesmo em frente à recepção com um recepcionista toda a noite…Ou a terceira, a mais mirabolante, foi que alguém tenha tentado nos fazer mal e desapertado as porcas durante a noite!! Tínhamos um suspeito, o recepcionista do Hotel, que tinha sido muito simpático conosco…quase simpático de mais mesmo, de uma maneira um pouco sinistra, agora que, em restrospectiva estávamos à procura dum culpado!!

Ficou o mistério e uma história para contar!! Siga para a Namíbia!

 

Comments

comments

No Responses to “Um acidente e um mistério a caminho da Namíbia”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Fish River Canyon- Bem vindos as 2º Maior Desfiladeiro do Mundo! - 125 Azul | 125 Azul - […] de dois dias inteiros a conduzir desde Cape Town, com um precalço pelo meio, finamente iríamos chegar ao nosso …