Porque é que a Grande Barreira de Coral foi a maior desilusão da nossa volta ao mundo…

Depois de sairmos de Brisbane, a nossa roadtrip levou-nos através da região de Queensland, passando por Mary Valley, Noosa, Raibow Beach e Bundaberg, até chegarmos finalmente ao nosso destino final, Agnes Water, uma pequena localidade costeira, de onde partem excursões para a famosa Grande Barreira de Coral.

As excursões partem de manhãzinha cedo pelo que chegámos no dia anterior e apanhámos um solei na praia de Agnes Water, que é bastante boa, com um extenso areal e ondas agradáveis. Ficámos num Air BnB genial, com um anfitreão inglês que emigrou para a Australia nos anos 70 e aqui ficou (mais tarde descobri, sem surpresas que os britânicos continuam a ser hoje em dia a maior comunidade emigrante da Austrália. Comparando o British weather com o sol Australiano não me surpreende!). A casa tinha uma vista incrível sobre o Bush australiano e o Carl levou-nos num passeio matinal à volta da  casa onde vimos dezenas de cangurus (na Australia basta passarmos um pouco fora dos centros urbanos para ver cangurus, especialmente de manhãzinha cedo ou ao fim do dia, quando faz menos calor).

DSC_0377

DSC_0366

DSC_0333

E o grande dia de ir à barreira de Coral chegou! As expectativas eram grandes como podem imaginar! Perguntem a alguém quais as atrações turísticas que pensam quando se fala na Austrália e a barreira de coral se não for a primeira é a segunda, após a Ópera de Sydney. É o único ser vivo que se pode avistar do espaço e bom, custa uma pequena fortuna a excursão, à volta de 130 euros por pessoa! (Ah pois sim, Welcome to Australia mate!).

A grande barreira de coral é apenas acessível de barco  ficando a cerca de 1,5 horas de viagem por mar. Cairns, no norte de Queensland é o ponto de partida típico, mas a extremidade sul da barreira pode ser vista na Ilha de Lady Musgrave ao largo de Agnes Waters. Amigos que foram a Cairns e a Lady Musgrave recomendaram esta última pelo que seguimos o conselho ( e que nos evitou apanhar mais um voo de ida e volta, já que Cairns fica já mesmo mt longe de Brisbane para quem vai só pela Barreira de Coral)

DSC_0256

 

E foi assim que partimos, com grandes expectativas para a Barreira de Coral… Posso vos dizer que as coisas não correram bem… O mar estava bastante agitado. Para evitar-mos ficar enjoados decidimos ficar cá fora, sujeitos aos salpicos do mar. Bom os salpicos tornaram-se em jactos e enquanto víamos os membros da tripulação sair com os sacos de enjoo cheios dos turistas no interior, fomos ficando encharcados e com os braços cansadoa de tanto nos agarrar-mos. Eventualmente também a Helene vomitou.

Foi assim bastante desgastados, com um mar picado e um céu cinzento que chegámos a Lady Musgrave….tínhamos visto fotos incríveis desta ilha,  tiradas do ar, roadeada pela barreira de coral, formando uma lagoa paradísiaca… Pois, a realidade era bastante diferente, muito por causa das condições metereológicas. O sol foi aparecendo timido da parte da tarde mas…

 

DSC_0312

 

Bom, pensámos que ver a barreira de coral, com toda a sua fama seria algo do outro mundo e iria valer tudo a pena! Mas não…. A barreira de coral na sua totalidade e imensidão é algo de único e incrível. Mas para quem a vê de perto,  num espaço limitado, não é diferente de qualquer outro coral que encontramos espalhados pelo mundo fora. Para apreciar verdaeiramente a grandeza deste sítio um passeio de avião/helicópetro se impõe. (Pena o custo excessivo duma brincadeira dessas! Melhor ainda, há excursões em hidroaviões que podem que amaram mesmo ao pé da barreira, para se poder mergulhar depois de ter visto a paisagem do ar!)

Após a chegada fomos em primeiro visitar a pequena ilha de Lady Musgrave, completamente inospita e deserta e fomos depois dar uma volta num barco com fundo de vidro para podermos apreciar os diferentes tipos de corais…

DSC_0297

DSC_0276

Por outro lado o snorkeling e a vida sub aquatica achámo-los deveras banal…por um lado porque a visibilidade era limitada devido ao mar agitado e por outro lado porque o último sítio onde tinhamos estado era o Parque Natural de Komodo , na Ilha de Flores, na Indonésia, que na minha opinião é o melhor sítio do mundo para fazer snorkeling ( a par do Blue Hole no Maar Vermelho)… É injusto para a barreira de coral,  mas bom, não podemos deixar de comparar as coisas. (Porém pessoas que nunca tinham feito snorkeling adoraram a experiência! Ou seja, é bom, mas na minha opinião não está à altura da reputação da Grande Barreira de Coral)

DSC_0262

Ao pé da plataforma de apoio ao barco era onde a agua era mais limpida e onde haviam mais peixes!

 

Dito isto, recomendo ou não recomendo a Grande Barreira de Coral? Apesar de tudo diria que sim, porque é um pouco como ir a Roma e não ver o Papa! Aconselharia a preparar a visita fora da época das chuvas (que é o Verão Australiano em Queensland), e ter um ou dias dias de margem caso esteja mau tempo num dos dias. Depois , há que ter expectativas realistas relativamente à escala das coisas que poderão ver do nível do mar e à vida submarina que terão pela frente, que apesar de bonita, não é das melhores que os mares têm para oferecer. E claro, se puderem, vão de avião!

Deixo-vos com esta imagem,tirada do ar, do como, apesar de tudo, este é mesmo um sitio incrivel!

 

lady-musgrave-island

Comments

comments

No Responses to “Porque é que a Grande Barreira de Coral foi a maior desilusão da nossa volta ao mundo…”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Milton- A melhor praia da Austrália com direito a um Rodeo! - 125 Azul | 125 Azul - […] is my all time favorite place down there ! » , disse-nos o Carl, o nosso anfitrião AirBNB em Agnes Waters, …