o minuto mais mágico duma viagem de 8 meses!

 

Já te contei aqui no 125Azul acerca da minha primeira grande viagem, que me levou à volta da Ásia, em 2009. Uma viagem de 8 meses, que começou no Médio Oriente e terminou na Rússia, que me fez atravessar países distintos, todos com o seu charme e beleza, e que os torna incomparáveis entre eles.

Gostei de diferentes países por diferentes coisas, como o Irão e o Paquistão pela hospitalidade, o Nepal pelo lado místico dos templos misturado com a adrenalina das actividades aventuras, o Myanamar por ser tão autêntico ainda e a Mongólia, porque…bem, é um país à parte e talvez o meu favorito.

Mas se falarmos de momentos, momentos que me marcaram e que foram mágicos, penso que poderei isolar um momento em particular que te conto aqui:

Estava na Tailândia, na ilha de Kho Tao, um sítio conhecido por ser óptimo para mergulho. Na manhã em que ia para mergulhar, todas as escolas de mergulho tinham um painel a dizer, “Whale shark sighted!”. Da minha pouca experiência de mergulhador, esse aviso nem me aqueceu nem arrefeceu, desconhecendo que este bichinho enorme, o tubarão baleia, de várias toneladas, é dos mais raros de avistar durante um mergulho, e é simplesmente algo de indescritível…

Porém, o mergulho começou bastante mal…Haviam 4 ou 5 barcos de mergulho, ancorados num mesmo sítio, à volta dum grande rochedo sub aquático onde tinham visto o Tubarão Baleia. Haviam cerca de 50(!!) mergulhadores a descer ao mesmo tempo, e haviam tantas bolhas de ar que mal se via o caminho. O meu buddy, a pessoa com quem te parelham, que tem de ficar sempre ao teu lado durante o mergulho era um americano já com os seus cinquentas e quando todos os mergulhadores começaram a nadar furiosamente para um dos lados do rochedo, tentámos segui-los. Lembro-me de pensar na altura: ” o que quer que fôr que vá ver, com tantos mergulhadores, vai estragar toda a beleza do momento, porque mergulhar é para se estar na calma sub aquática e apreciar tranquilamente o que nos rodeia, em modo zen.” Quando reparei, o meu buddy tinha começado a ficar para trás, cansado, sem poder aguentar o ritmo. E foi aí que decidimos deixar a trupe de mergulhadores com o seu tubarão baleia, e continuar o nosso mergulho tranquilo, juntamente com outro casal, indo na direcção oposta, do outro lado do rochedo.

Felizmente, o tubarão baleia, de certo também incomodado com tanta atenção e protagonismo, teve a mesma ideia, e ao contornar o rochedo, demo-nos de cara com este enorme animal,  todo para nós, num momento que não é suposto descrever em palavras mas sim experienciar. Felizmente, havia alguém do nosso pequeno grupo sortudo que tinha uma câmara, e que guardou este momento mágico para a posterioridade!

 

 

Lembro-me sobretudo da paz do momento, desta enorme massa a deslizar suavemente entre as águas, acompanhado duma procissão de peixes que o seguiam. Foi algo de surreal que não posso  deixar de recomendar a toda a gente. A Tailândia, as Filipinas, a Austrália e Moçambique, em Tofo, são alguns dos sítios do mundo onde se podem avistar mais facilmente tubarões baleia!

A Luísa Pinto e Filipe Morato Gomes, do Alma de Viajante descrevem também muito bem esta experiência, (como orgásmica) que viveram na Austrália aqui.

Se tiveres uma oportunidade, não a percas! Prometo que vai ir directamente para o top dos teus minutos mágicos!

 

 

Comments

comments

Comments are closed.