Dar a volta ao mundo- Passar do sonho à realidade

” Um dia vou dar a volta ao mundo. Hoje é o dia” . Este seria o meu pacotinho favorito da coleção dos cafés Nicola.

 

Viajar à volta do mundo é algo que continua no imaginário de 99% das pessoas como um sonho, como algo destinado apenas aos sortudos que ganham a lotaria ou a quem terá uma reforma dourada. Porém eu, e muitos outros viajantes, somos a prova viva que nada é mais errado. Dar uma volta ao mundo não é um sonho, é um projecto e, ainda que ambicioso, está ao alcance de todos que realmente queiram.

No artigo de hoje deixo-vos, duma forma resumida, como se tivéssemos à conversa num café , a minha experiência prática de como a vossa volta ao mundo pode passar dum sonho, a um projecto e finalmente a uma realidade.

Antes de mais há que discutir o porquê, a motivação por detrás dum projecto destes. Com a motivação certa, os obstáculos que todos sabemos parecerão imediatamente menos intransponíveis e a partir do momento que nos apercebemos que não há nada que nos impede de partir, começa a parte do planeamento!

 

1) Motivação

 

Toda a gente pensa que a coisa mais importante para dar a volta ao mundo é dinheiro. Nada mais errado. Como (quase) tudo na vida, se formos suficientemente ambiciosos, com um objectivo claro em mente, um plano bem elaborado de como o atingir e a vontade e o espírito de sacrifício para pôr o plano em acção, qualquer projecto é realizável, com maior ou menor dificuldade, a curto, médio ou longo prazo.

O projecto de dar a volta ao mundo é um excelente exemplo. Posso vos dizer que quase toda a gente que encontrei a dar a volta ao mundo não vinham de meios priviligiados, ganho a lotaria ou com grandes salários. Tinham atingido o sonho de viajar com muito planeamento, organização metódica, sacríficos a nível de despesas e pondo de parte outros projectos temporariamente, fossem eles profissionais ou pessoais (como comprar uma casa, um carro ou mesmo começar uma família). Isto porque realmente quiseram dar a volta ao mundo. Porque decidiram que este projecto era realmente importante para a felicidade deles. Porque era a coisa certa a fazer naquela fase da vida, e que nada mais tinha sentido.  Quando encontramos este tipo de motivação, quando estamos realmente certos de que é isto que queremos fazer, os obstáculos que todos enumeramos para não dar uma volta ao mundo são apenas isso, obstáculos, desafios, mas não barreiras instransponíveis.

 

 advanced-scribes-u2022-view-topic-u0026gt-travelling-the-kara-

 

2) Obstáculos/Desafios

 

Antes de falarmos dos obstáculos ou melhor, desafios, a partir numa volta ao mundo há que falar de horizontes temporais na preparação duma viagem desta envergadura. Não estamos a falar de férias ou dum fim de semana prolongado. Estamos a falar dum projecto pessoal, duma viagem com V grande. Este tipo de aventuras demoram meses e meses a preparar, mesmo anos, tal como uma expedição do tempo das Descobertas! Poucas são as pessoas que conseguem reunir as condições financeiras, profissionais e pessoais para viajar dum dia para o outro. Por isso, no caminho de preparação para uma volta ao mundo, os seguintes desafios são para serem resolvidos a seu tempo, até que as condições ideais estejam reunidas! (porém há que definir uma meta precisa, se não voltamos de novo a um sonho e não a um projecto!)

 

- Trabalho

A primeira preocupação é normalmente o ganha pão. Que fazer do nosso trabalho? E depois? Quando voltarmos? Ficar no desemprego? Não há uma receita milagrosa para este obstáculo, mas há duas coisas que posso dizer:

1) Se o tipo de posição/empresa permitir tentar discutir uma licença sabática/sem vencimento. Muitas empresas, apesar de não terem obrigação de o fazer não têm interesse em ter empregados insatisfeitos/desmotivados e sabendo da dificuldade de contratar bons elementos podem estar abertos à possibilidade de conceder uma licença sem vencimento, mais ou menos alargada.

2) Muitas vezes a insatisfação com o trabalho é um dos grandes motivos para querer partir, e a volta ao mundo é uma oportunidade para pensar melhor que tipo de trabalho que realmente se quer fazer.  Neste caso ter um projecto como viajar pelo mundo é a maior motivação para finalmente deixar para trás algo que não se gosta e ter um projecto entre empregos.

 

- Casa

Ter casa própria com as prestações bancárias torna sem dúvida o trabalho de partir durante vários meses um desafio. Que fazer com a casa? Bom, há várias hipóteses: pode-se alugar a casa, se a queremos manter depois da viagem. Neste caso  há que preparar a casa para ser alugada, se possível a alguém conhecido ou com boas referências. Se condições aceitáveis tiverem reunidas, vender a casa pode ser mesmo a solução ideal, com parte dos ganhos feitos podem ser orientados para o orçamento da viagem. No pior dos casos, pode-se sempre deixar a casa vazia- neste caso as prestações ao banco têm que ser incluídas no orçamento da viagem.

- Segurança e Saúde

O receio de apanhar alguma doença tropical, de partir uma perna no estrangeiro ou de ser roubado pode ser um receio válido para muitas pessoas. Claro que todas essas coisas podem acontecer numa viagem, mas a probabilidade é tão ou mais pequena do que se ficarmos em casa. E depois há seguros que nos cobrem caso nos roubem tudo ou que tenhamos um problema médico. Foi o que me aconteceu em Hanói, e passados algumas semanas estava pronto para continuar a viagem! Seria a pena que o receio de algo que tem uma pequena probabilidade de acontecer nos impeça de realizar um sonho não?

 

-Filhos

Ter filhos não é um entrave a viajar pelo mundo! Quantas famílias vi e vê-se nas revistas a viajar pelo mundo? Claro que o tipo de viagem tem de ser adaptado aos pequeninos, mas tudo é possível. O mais importante é um bom timing, para que não sejam nem muito novos nem já numa idade onde a viagem  cause inconvenientes na escola.

- Companhia

Não ter com quem ir é também uma desculpa comum. Viajar sozinho para muitos é um bicho de 7 cabeças. A essas pessoas digo: tentem, só uma vez, durante suas semanas, para experimentar.  A quantidade de pessoas que se conhece é incrível e acabamos por estar poucas vezes realmente sós. E claro, com a vantagem de podermos decidir o que queremos fazer e ver, exactamente com o nosso timing!

-Dinheiro

Deixei o dinheiro para último porque é efectivamente o menor dos problemas, o que se resolve duma maneira mais metódica, num espaço maior ou menor de tempo. Antes de mais há que identificar as nossas despesas e guardar apenas as necessárias. Uma volta ao mundo faz-se a cortar em : cafézinhos, lanches, fins de semana, almoços durante a semana, jantares fora e copos com amigos, tabaco, tvcabo, roupa,  telemóvel. Faz-se a vender a tralha que temos lá em casa. Faz-se a pôr dinheiro de lado logo ao início do mês. Para muitos faz-se com outros biscates como um emprego part time ou fazer algo para vender aos amigos. E depois claro, faz-se em adaptando a nossa viagem. Pequenos orçamentos não impedem de viajar, fazem-nos apenas escolher destinos mais em conta (India, Sudoeste Asiático) ou a duração da viagem (é melhor ir só 6 meses do que não ir!)

 

2f2af87eb9e7bd12996182815c7a65cd

 

3) Planemento

Depois de decidirmos que queremos verdadeiramente partir, que as dificuldades são superáveis, podemos começar a planear a nossa viagem duma vida:

- Quanto tempo

Quanto tempo partimos depende normalmente do orçamento que conseguimos reunir, ou de quanto tempo podemos partir sem afectar a nossa vida pessoal/profissional no regresso a casa. Entre 9 meses e um ano é um bom objectivo para poder tirar um partido máximo da viagem. O mínimo é mesmo entre 3 e 6 meses para poder ver o mundo com alguma calma e poder pôr as coisas em perspectiva e tirar algum tempo para nós. Mais que um ano começa-se a entrar numa viagem de longo prazo, que normalmente requer ou um budget maior, ou um nível de gastos por dia muito limitado ou mesmo trabalhar. Entramos já no âmbito de viver em viagem onde se decide  durante dois ou três anos partir e não só viajar mas mesmo viver durante alguns meses/semanas em vários destinos.

- Onde ir/ O que fazer

Onde ir e o que fazer depende muito do orçamento e do tempo que temos para a viagem. Orçamentos mais pequenos limitam-nos a certas zonas do globo, enquanto orçamentos mais folgados abrem-nos a porta a países mais caros. Depois quanto maior fôr o ritmo de viagem, com mais sítios e países visitados maiores serão os custos de transporte. Acima de tudo há que decidir se a vossa volta ao mundo será a clássica volta ao mundo com uma sucessão de países que visitamos, com mais ou menos calma, ou se querem aproveitar para pequenos projectos entre viagens, como voluntariado, aprender a tocar um instrumento, língua, desporto, ou meditação religiosa.

- O que levar

A regra geral diz para pôr tudo o que queremos levar em cima da cama- depois tirar metade das coisas e meter o dobro do dinheiro! Se bem que a parte do dinheiro seja mais difícil, a experiência ensinou-me que a melhor coisa é levar pouca coisa, que caiba numa mochila de 30L. Idealmente aconselho a levar uma mochila de 50L para se ter espaço para ir metendo uns recuerdos e um saco com alguma comida por exemplo. Depois podem seguir a regra dos 3. Para roupa interior e t-shirts levam-se três de cada, sabendo que todos os dias usamos uma, temos uma lavada na mochila e outra que está a secar, lavada na noite anterior! Depois um boa máquina fotográfica e um smartphone pode ajudar bastante.

- Como viajar (entre países, entre cidades, dentro das cidades)

Uma das grandes questões para quem faz uma volta ao mundo é que tipo de bilhete comprar. Fiz uma análise detalhada aqui. Depois dentro de cada cidade o ideal é ficar numa zona central para evitar ter que utilizar transportes. Se forem mesmo precisos o segredo é decifrar os transportes públicos ou, se os táxis forem baratos e o budget o permitir (ou houver mais gente para partilhar os custos) optar por esta maneira é mais o mais fácil. Para viajar dentro de cada país vale tudo: autocarro, comboio, mini bus privados. Normalmente qualquer bom guia de viagens como o lonely planet tem informações de preços, tipo de tranporte e tempo de viagem o que torna super fácil descobrir a melhor maneira de ir de A a B.

- Onde ficar

Hoje em dia com booking.com, hostelworld.com ou airbnb.com , arranjar alojamento é a coisa mais fácil do mundo. E para quem quer fazer da maneira antiga,  reservar quando se chega também é possível. Em certos sítios é a melhor maneira, encontrando grandes negócios!

 

travel-checklist

 

 

Este artigo é, como vos disse, um pequeno gostinho de tudo o que se pode falar acerca de organizar uma volta ao mundo. Muito já escrevi acerca do tema aqui no 125azul:

 

- Porque é que vou largar(quase) tudo e dar a volta ao mundo

- 48 coisas necessárias para preparar uma volta ao mundo!

- Guia de vacinas para viajantes

-Seguro de Viagens- Como analisar e onde comprar?

- Como poupar para uma volta ao mundo

- Quanto custa dar a Volta ao Mundo?Os custos detalhados que sempre quiseste saber

- Qual a melhor maneira de dar a volta ao Mundo? Comprar um bilhete Volta ao Mundo VS ir comprando voos

- Itinerário volta ao mundo- Por onde vou andar a partir de Julho…

- Primeiro Balanço da nossa Volta ao Mundo- As 7 perguntas que toda a gente me faz!

- Esqueçam encontrar o sentido da vida- Esta é a maior lição tirada duma volta ao mundo

 

Livro ” Como dar a Volta ao Mundo- do sonho à realidade” 

 

 

Porém, muito há ainda a escrever agora que voltámos da nossa viagem, há pouco mais de 6 meses. É por isso que aproveito este post para comunicar o projecto do 125 Azul para 2016- escrever um livro, com dicas práticas, de como preparar uma volta ao mundo, com base na minha experiência e de outros viajantes também.

Os subscritores da Mailing List do 125 azul terão direito a um first preview, com os primeiros capítulos do livro oferta! Para os interessados que ainda não se increveram podem fazê-lo aqui

Em todo o caso, sigam-nos no Facebook ou no Instagram onde irei colocar os relatos da nossa viagem que ainda estão pendentes (Nova Zelândia, Bolívia, Vietnam, Ilha de Flores, Namíbia….)

 

 Passemos do sonho à realidade e boa viagem!!

 

Travel-Book

Comments

comments

Comments are closed.