Cabo Agulhas- O verdadeiro ponto mais a Sul de África

 

O senso comum diz-nos que o ponto mais a Sul do continente africano, e que separa o Atlântico do Índico é o Cabo da Boa Esperança…se me tivessem perguntado seria a minha primeira resposta! Mas aqui na África do Sul, aprendi que é no Cabo Agulhas, também baptizado pelos Portugueses, que as águas do Atlântico se juntam com as do Índico, mais propriamente com as da corrente de Benguela, e que marca o ponto mais a sul do Continente Africano.IMG_3620

O nome Agulhas veio dos navegadores portugueses, que ao passar neste cabo aperceberam-se que as agulhas das suas bússolas não eram afectadas pela deviação magnética e indicavam o verdadeiro Norte. Este pedaço de costa é dos mais perigosos do mundo, tendo já sido palco de 250 naufrágios desde que há registo! Um deles, o barco japonês Meishu Maru 38 pode ser visto não muito longe do Cabo Agulhas.
Apesar de ter menor significado histórico que o Cabo da Boa Esperança e de ser menos impressionante a nível de paisagem, o Cabo Agulhas é um ponto de passagem agradável para quem viaja da Cidade do Cabo até à famosa Garden Route à beira mar e precisa dum dia de repouso numa cidadezinha mais pacata. Após se ter passado a manhã em Hermanus ou Gansbai a ver as baleias ou os tubarões, a cidade de Agulhas (ou Agulas como os Sul Africanos dizem) é um ponto de paragem conveniente, e vale muito a pena, nem que seja pelo direito de se dizer que já se teve no ponto mais a Sul de África, e meter uma perna do lado do Atlântico e outra do lado do Índico. (para a foto clássica!)

IMG_3619
Ao final da tarde é agradável ir ao pequeno porto ver os barcos de pesca chegarem da faina, e ver também aí as 4 raias gigantes residentes, que são alimentadas à base entranhas de peixe, por volta das 16h.

IMG_3618

IMG_3623

 
Um sítio muito agradável para ficar em Agulhas e onde ficámos é a Guesthouse Ocean View, que tal como o nome indica tem vista para o oceano (neste caso Índico). A proprietária, a Dona Sarah gere este simpático Bed & Breakfast duma maneira familiar e calorosa, fazendo-nos sentir como se estivéssemos em casa duma tia nossa e não num hotel despersonalizado. A Hélène gostou particularmente da atenção que a senhora dá aos pequenos detalhes mas que fazem toda a diferença, como chegar ao quarto à noite e ter uma botija de água quente debaixo dos lençóis! Ao que parece o pequeno almoço é delicioso, mas não tivémos oportunidade de o provar porque tivémos que partir muito cedo no dia seguinte! Definitivamente um local a considerar se visitarem o Cabo Agulhas.

photo1

photo3

photo4

photo5

 

 
(Nota: Ficámos no B&B Ocean View a convite da Dona Sarah, o que não condicionou de forma alguma a opinião expressa neste artigo)

Comments

comments

Comments are closed.